18.3.14

::VAMOS AJUDAR A ESCOLA BÁSICA DE LOUREIRO EM VILA DO CONDE::

Vamos ajudar a Escola Básica de Loureiro em Vila do Conde a ganhar um parque infantil!


Para tal, basta entregarem até ao dia 04 de Abril embalagens vazias e medicamentos fora de prazo numa farmácia aderente ou num dos centros GLASSDRIVE que listamos abaixo:

Glassdrive Alfena
Glassdrive Espinho
Glassdrive Gaia Sto Ovídeo
Glassdrive Gondomar
Glassdrive Grijó
Glassdrive Maia
Glassdrive Matosinhos
Glassdrive Porto Areosa
Glassdrive Porto Boavista
Glassdrive Porto Fernão Magalhães
Glassdrive Porto Via Rápida
Glassdrive Vila do Conde
Glassdrive Valongo


Contamos com a sua ajuda!



27.2.14

MICRO-CARROS



Os carros têm várias variações nos seus formatos e tipologias, desde carros familiares, todo-o-terreno, desportivos, compactos, sedans, etc, mas existe uma categoria com uma singularidade tal, que parecendo ter sido esquecido pelo vidro da História foi reinventado muito recentemente. Referimo-nos aos microcarros, um tipo de automóvel que teve um desenvolvimento notável após a II Guerra Mundial, fruto da conjuntura industrial da época.
No seu essencial a definição de micro-carro é um automóvel especialmente pequeno, em que se usam vários parâmetros para os diferenciar dos outros automóveis, tais como “menos de 3 metros de comprimento” e “volume interior inferior a 2.4 m3”. Tradicionalmente, os microcarros tem lugar para o condutor e um passageiro e alguns tem apenas três rodas, o que originou que no seu início fossem também designados como carros motorizados.
O início de produção destes automóveis relaciona-se directamente com o panorama industrial da Alemanha no pós II Guerra Mundial com a escassez de matérias-primas, preço elevado dos combustíveis e a elevada especialização das fábricas alemãs produtoras de aviões, tais como a Messerschmitt e a Heinkel que rapidamente se converteram em importantes fabricantes de micro-carros. Esta ligação era tão evidente que nos microcarros Messerschmitt KR175 e KR200 os tejadilhos utilizados eram semiesferas de vidro à semelhança do que era utilizado nos aviões. Em França também se produziram um elevado número de microcarros que foram baptizados como voiturettes, mas as invés dos sues congéneres alemães, estes microcarros nunca foram comercializados em outros países.
O sucesso deste carro foi de tal ordem que o mais popular de todos, do fabricante italiano Isetta chegou ser produzido em massa, tendo sido vendidas mais de 160.000 unidades a nível europeu.
O desenvolvimento económico da Europa a partir dos anos 60 fez com que estes carros perdessem o interesse para os clientes o que originou que estes automóveis praticamente se tivessem extinguido a nível industrial e comercial. Em Portugal, houve mesmo uma aposta empresarial neste tipo de automóvel e na década de 1980 foi lançado o Sado 550, o primeiro micro-carro lusitano.
Diz-se que a História volta sempre e em anos recentes houve um ressurgimento dos micro-carros para uso citadino e aí pode-se apontar a marca Smart como um expoente desse flashback que tem sido acompanhado por outros fabricantes automóveis.

É assim a história destes micro-carros que de pequeno só tem o tamanho.